Dois pares de olhos azuis e o Caminito

Mirta faz arte no azulejo para vender na feirinha do Caminito, em Buenos Aires. A mulher de olhos azuis é apaixonada por Chico Buarque desde a época do exílio e tem o último disco dele, de 2011. Mesmo assim, jurava que ele não cantava mais em público. Quando lhe contei que fui ao show do cantor no Teatro Guaíra, em Curitiba, Mirta mostrou-se ainda mais encantada. Mas, nem sequer quis arriscar cantarolar alguma canção. Disse que é seu hijo quem sabe a letra das músicas que tanto gosta. Mirta também ouve Vinícius de Moraes e diz que Toquinho é cantado no Caminito todas as lunes. E Mirta valeu mais a pena que o Obelisco.

watermarked-Mirta - Buenos Aires
Mirta e Francielli Campiolo no Caminito | Foto Scheyla Horst

Feirinha de artesanato

Um dos passeios que não podem ficar de fora do roteiro de qualquer turista que visita Buenos Aires é o Caminito, uma região dentro do bairro La Boca onde estão as casinhas coloridas com paredes de chapa, os shows de tango e as feirinhas ao ar livre.

Às margens do Río Matanza Riachuelo mais de 100 artesãos vendem souvenirs de madeira, cerâmica, metal, couro e outros materiais. Logo pela manhã, eles montam suas tendas e exibem seus objetos para os olhares curiosos dos visitantes que pouco a pouco chegam ao local reconhecido como museu a céu aberto, desde 1959.

Esse reconhecimento se deve às muitas doações de artistas e, principalmente, ao incentivo e dedicação do pintor Benito Quinquela Martín. As casas típicas do Caminito eram moradias dos imigrantes italianos no final do século XIX , que utilizavam as tintas que sobravam das pinturas dos barcos para proteger suas casas também conhecidas por conventilhos.

A partir de 1950, as ruas à beira do antigo porto da cidade receberam pinturas novas, esculturas, murais e mosaicos transformando totalmente a aura do lugar. Atualmente, o colorido toma conta de quase 150 metros de rua. Mas, nem todas são preservadas e quanto mais se afasta da área do Caminito, mais é preciso atentar-se aos pertences pessoais.

Além da feirinha de artesanato, o turista tem à sua disposição a “Feria de Artistas Plásticos de Caminito”. Lá, os artistas contemporâneos vendem suas obras diariamente a partir das 11h00. Fique atento aos horários de término da feira: nos meses de inverno o encerramento acontece às 18h00, enquanto que no verão o horário se estende até as 20h00.

El tango “Caminito”

watermarked-DSC_0712
Tango “Caminito” | Foto Scheyla Horst

O célebre tango “Caminito”, composto por Juan de Dios Filiberto (música) e Coria Peñaloza (letra), foi escolhido por Quinquela Martín para nomear a região. A canção foi muito tocada no carnaval de 1926 e seus versos nostálgicos retratam como era o lugar antes de se tornar um centro cultural e turístico de Buenos Aires. Entre os anos de 1898 e 1928, havia uma linha férrea no Caminito que foi fechada e abandonada.

watermarked-548348_2469240427097_1100450090_n
Dançarinos de tango no Caminito | Foto Scheyla Horst

As apresentações de tango acontecem em plena luz do dia nas ruas do Caminito. É assim, basta chegar, escolher um banco ou um restaurante para almoçar e assistir ao show. Cada estabelecimento monta um palco pequeno e a apresentação começa. Se você preferir, perambule por vários restaurantes e confira essa dança tradicional dos solos argentinos quantas vezes quiser.

Links úteis

Site oficial de turismo de Buenos Aires

Agenda cultural de Buenos Aires

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s