A fé que colore Paraty: a Festa do Divino Espírito Santo

A procissão se aproxima com sua música folclórica pelo calçamento histórico do Centro de Paraty (RJ). É festa do Divino Espírito Santo e praticamente todas as construções daquela área estão ornamentadas com fitas e pombas brancas. Exatamente ao lado da Catedral, um senhor vende bebidas alcóolicas em seu carrinho todo colorido. O ponto forte do empreendimento é a “Caipiroska”, que pode ser escolhida em diversos sabores – morango, maracujá, abacaxi… Todavia, quando os devotos se aproximam, rapidamente o comerciante fecha a venda, tira o boné, abaixa a cabeça e aguarda, respeitoso, as pessoas entrarem na igreja com seus mastros e bandeiras. Logo após o fuzuê, volta ao trabalho, finalizando em seu liquidificador pedidos feitos momentos antes. Paraty é assim: uma misturinha boa entre fé e “água da bica”. Entre turismo e devoção. Entre agitação e gente tranquila.

Rua do Comércio
Pomba branca simboliza o Espírito Santo | Foto Scheyla Horst

Durante aquela semana de maio de 2015, a cidade vivia com entusiamo a Festa do Divino Espírito Santo. Para o turista mais desavisado, isso significa a chance de conhecer melhor a cultura da região, os aspectos religiosos e, por que não, se deliciar na quermesse realizada no centro histórico, que reúne diferentes pratos no mesmo lugar, e com um preço mais acessível para a comunidade. Até shows são realizados (pagode, samba, sertanejo…)! Em virtude da riqueza da festa popular, o blog Vagareio publica este texto especificamente sobre tal festejo. Nos próximos dias, divulgaremos outras informações e dicas sobre nossa viagem a Paraty, não perca!

Festa o ano todo

Paraty possui uma agenda cultural e artística repleta de eventos, todos os anos. Alguns exemplos que admiramos são Flip (Feira Literária Internacional de Paraty) e Paraty em Foco (para fotógrafos). Mas outro ponto forte são as festas religiosas, que atraem turistas e envolvem os moradores em atividades diversificadas, colorindo ainda mais a cidade.

Casas
Moradores participam ativamente da Festa do Divino, atuando nos rituais e decorando suas residências e comércios | Foto Scheyla Horst

A Festa do Divino Espírito Santo é uma das comemorações mais tradicionais. Ela começa 50 dias depois do Domingo de Páscoa e se estende por dez dias. Todo o centro histórico é decorado com bandeirinhas nas cores branca e vermelha, enquanto as janelas das casas recebem toalhas vermelhas que possuem a ilustração de pombas brancas na parte central. A pomba simboliza o Espírito Santo. Durante os dias de festa, são realizadas missas, procissões com banda de música, folias, apresentações, feiras com praça de alimentação, desfiles… Enfim, uma programação completa é pensada para mobilizar pessoas e, inevitavelmente, cativar os turistas.

Há três anos, o evento é considerado patrimônio cultural brasileiro pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Isso porque é considerado uma cerimônia que consegue representar a diversidade e a singularidade, o que é fundamental para a construção e afirmação da identidade cultural.

Divino

Sobre o histórico da Festa do Divino, uma das possibilidades é a origem em virtude do culto à devoção por ninguém menos que a Rainha Isabel (1271-1336) e à construção da Igreja do Divino Espírito Santo em Alenquer, Portugal, que marcou as primeiras celebrações que se tornaram uma tradição disseminada nos Açores e posteriormente no Brasil.

Central
Há três anos a Festa do Divino Espírito Santo de Paraty (RJ) é considerada patrimônio cultural brasileiro pelo Iphan | Foto Scheyla Horst

Em Paraty, os registros mostram que tal ritual religioso ocorre há pelo menos três séculos. E é passado de geração em geração. Os principais espaços ocupados pela festa são a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios, a Praça da Matriz e, também, as casas dos membros da comunidade, tendo em vista que as famílias participam com engajamento.

Matriz
Igreja e praça são os locais que mais registram atividades na programação da festa | Foto Scheyla Horst

De acordo com o Blog de Paraty, a festa conta com diversas etapas, que podem ser resumidas da seguinte maneira: a preparação do evento, que dura quase um ano; o levantamento do mastro na casa do festeiro, no Domingo de Páscoa; a abertura da festa com a Alvorada Festiva; a programação profana com atividades na praça; o Sábado de Festa com o Bando Precatório; o Almoço do Divino seguido de brincadeiras tradicionais; a Celebração de Coroação do Imperador com uma série de danças folclóricas; a Celebração de Pentecostes com uma procissão comandada pelo imperador e seus vassalos; e, por fim, o encerramento com a Celebração de Ação de Graças, com um amplo cortejo.

Centro histórico ornamentado

É possível ficar horas passeando pelas ruas do centro histórico de Paraty. As construções antigas e belas são altamente fotogênicas. Durante a festa do Divino Espírito Santo, então, a cidade se une em torno de uma decoração comum, com detalhes que enriquecem a vista. Não bastasse a arquitetura, existem dezenas de lojinhas de artesanato que atraem a atenção dos viajantes. Recomendamos o uso de tênis ou outro calçado confortável, pois o calçamento busca seguir o modelo original, com grandes pedras que possibilitam alguns interessantes tropeços – ainda mais depois de experimentar as tradicionais cachaças produzidas na cidade.

Centro
Passeio se torna ainda mais interessante com ornamentação para a festa | Foto Scheyla Horst

Links Úteis

Blog de Paraty, com várias dicas.

Site Prefeitura de Paraty.

Site do Iphan.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s